Católica organiza conferência sobre os 20 anos depois do handover de Macau

Os 20 anos da passagem da soberania do território de Macau para a China foi o tema central de um evento que juntou professores, investigadores, economistas, advogados, entre muitos outros profissionais, que no seu dia-a-dia vivem esta realidade.

O evento começou com a intervenção de Manuel Fontaine, vice-presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, que falou sobre a ligação próxima da Universidade com a Universidade Católica de S. José (Macau). Deu ainda o seu testemunho sobre a evolução de Macau nos últimos 20 anos. Seguiu-se a intervenção de Vítor Teixeira, docente da Escola das Artes, que fez um enquadramento histórico sobre a presença portuguesa em Macau, desde 1513 até aos dias de hoje, exaltando o papel pivotal do território no plano geopolítico, dada a sua posição privilegiada na Ásia, como plataforma de contacto entre o Ocidente e o Oriente. O docente salientou ainda a história que é preciso conhecer para se entender a idiossincrasia do território.

Foi ainda possível ouvir o antigo vice-presidente da Autoridade Monetária e Cambial de Macau, Jorge Pereira, que expôs o papel de Macau como território para negócios e de articulação empresarial entre Portugal e a China, como entre esta e o mundo, em particular o de língua oficial portuguesa. Contámos de seguida com a apresentação da administradora da Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) que falou sobre a experiência da SPI em Shanghai, em Pequim e mais recentemente em Macau. Sara Medina falou na relevância de potenciar a rede de parcerias internacionais, onde criou uma sociedade de direito chinês. A encerrar as apresentações, Óscar Madureira, advogado e docente convidado da Universidade Católica Portuguesa - Lisboa, falou sobre o sistema jurídico de Macau, a estabilidade e garantias que o mesmo oferece enquanto lei fundamental do território e sobre o enquadramento jurídico das relações institucionais e de cidadania no mesmo.

As questões e o debate que se seguiram ficaram a cargo da jornalista Isabel Castro, antiga diretora do Jornal “Ponto Final”, uma das mais conhecidas e ativas profissionais da comunicação social na RAEM. No final da sessão foi lançado o livro “Portugueses em Macau”, da autoria de Vítor Teixeira e Susana Costa e Silva, docentes da Universidade Católica Portuguesa e organizadores deste evento. Neste livro os autores traçam o perfil dos portugueses no território, desde a sua chegada no século XVI, até ao pós-handover. No final do evento houve ainda um Porto d’Honra servido no átrio da Universidade, onde os vários convidados trocaram impressões sobre Macau e as suas mais diversas perspetivas de observação.

Novembro 2019

Artigos relacionados:

Macau – de 1513 a 1999 [in Público online]